Vozes: André Soares e Sofia Saldanha.

1. Introdução

André: Bem-vindo ao passeio sonoro “Não sei o que o amanhã trará: um passeio sonoro na Lisboa de Fernando Pessoa.”

Vamos entrar no universo pessoano, mas não perca a noção de si e do espaço que o rodeia: preste especial atenção ao

trânsito e às pessoas. Lisboa é uma cidade movimentada, e até pode ser que esteja numa fase de muito turismo.

Certifique-se de que o volume do som não o afasta de forma errática do local onde se encontra. Sugerimos que desligue o som, quando tiver que atravessar a rua.

Este percurso está dividido em 15 episódios com duas partes geográficas: a primeira na cidade baixa, e a segunda em

Campo de Ourique. Pode optar por seguir a ordem estabelecida, ou seguir as suas motivações e conveniências

pessoais. Faça esta viagem ao seu ritmo.

A sua guia é Sofia Saldanha, produtora e realizadora deste percurso pessoano.

 

Sofia: O nome Fernando, de raiz germânica significa “ousado viajante”. Ironia maior não poderia existir para um homem que passou quase toda a vida adulta aqui, nesta cidade.

Vamos caminhar por ela. Subir e descer ruas. Montar e desmontar o tempo.

Fernando Pessoa: um poeta, filósofo, escritor de teatro, de contos, de policiais; um empregado de escritório, tradutor. Um homem que não é só um. É um menino, um adolescente e um adulto. Um ser humano movido pelos seus pensamentos, que foi colhendo as transformações que lhe calharam.

Aquilo que se fixa na memória e que a vai reconstruindo chega-nos através das vozes do entusiasmo. Daqueles que se perdem nos papéis dele, nas arcas pessoanas.

E há ainda as vozes que celebram o afecto, as vozes de quem ainda o conheceu: as crianças. As crianças, que fizeram dele o tio dos mimos e das graças, da irreverência e dos chocolates.